Buscar

Primavera Negra - Caminhada de 1 Milhão de Negros

Comunicado as bases...

Hoje para falar de emancipação, em 28 de abril de 1960 Malcolm X fez no Comício da liberdade do Harlem a seguinte fala:


..."Quando dizemos "nosso" não queremos dizer mulçumanos, cristãos, católicos, protestantes, batistas, metodistas, democratas, republicanos, maçons nem elks. Por "nossa" liberdade do Harlem, entendemos o povo preto do Harlem, o povo preto da América e o povo preto de todo o mundo.


A maior concentração de pretos do mundo está bem aqui no Harlem, por isso estamos reunidos aqui hoje na Praça do Harlem para um comício da liberdade, de pretos, para pretos, e em benefício dos pretos. Não estamos aqui nesta reunião porque já conquistamos a liberdade. NÃO! Estamos aqui reunidos em defesa da liberdade que nos foi prometida há muito tempo mais ainda não recebemos. Esta reunião é pela perfeita liberdade que até agora este governo não nos concedeu. Não haveria necessidade de protestar contra o governo se já estivéssemos livres"...

Quando ouvi a proposta da "PRIMAVERA NEGRA" me veio exatamente este trecho do discurso de Malcolm X. Entendi a importância desta "caminhada" quando fazemos uma análise profunda da conjuntura política, nela vejo que além de estarmos como "povo preto" fora deste cenário, somos nós pretos que somos os pés, mãos pulsantes da economia nacional, porém somos apenas a força que impulsiona, mas somos exatamente o povo preto que estamos a margem da sociedade brasileira, somos nós que ocupamos os altos índices de pobreza e miséria. Em outro trecho da mesma fala, do mesmo dia Malcolm X diz:

..."A liberdade é essencial para a própria vida. A liberdade é essencial para o desenvolvimento do ser humano. Se não temos liberdade, nunca poderemos esperar por justiça e igualdade"...

Ronaldo Arruda - Idealizador do Partido de Expressão Popular


Quando entendo a "A Caminhada de 1 Milhão de Negros" compreendi que está é exatamente a caminhada por reivindicação pela liberdade que até hoje não foi nos dado, é agora não aceitamos mais migalhas do sistema. Queremos justiça e igualdade, mas para termos um "sonho" concretizado precisamos consolidar e fortalecer a "democracia" era só será de fato uma democracia saudável quando negros/pretos ou africanas e africanos da diáspora (como prefiro) fomos livres.



Entendemos enquanto coletivo político em construção que não somos filhos e filhas daqui, não, somos as vitimas deste estado que até hoje em pleno século XXI ainda insiste em nós escravizar, exatamente dai a necessidade urgente da organização e unificação da população preta e periférica não para aceitar nem reivindicar as migalhas do estado, e do sistema, não, não queremos isso, não vamos aceitar mais isso. Hoje buscamos a libertação que sempre nós foi negada, hoje buscamos a liberdade que nós foi roubada, hoje buscamos autonomia social, econômica e politica, neste aspecto então compreendemos que a PRIMAVERA NEGRA tem fundamental importância dentro da perspectiva da unidade do povo preto e periférico.

Att.

Ronaldo Arruda

Idealizador do Partido de Expressão Popular.

Gilmar Gonçalves da Silva

Coordenador Nacional de Articulação e Jurídico do Partido de Expressão Popular.

38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo